Banner

Núcleo é o espaço dedicado aos projetos sociais, artísticos e culturais que o IORM oferece gratuitamente a crianças, adolescentes, jovens e suas famílias

 

A comunidade de Ipuã foi à rua para receber o seu presente: na noite de 8 de agosto de 2017, o Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça entregou oficialmente para a cidade um espaço integralmente dedicado à cidadania, o Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça.

Alunos e familiares, voluntárias, funcionários do IORM, imprensa, empresas apoiadoras, e autoridades, participaram do evento que contou com muita emoção, apresentações culturais, aplausos e muitas fotos em frente ao prédio recém inaugurado, que tem tudo para se transformar em um novo local para as selfies na cidade.

Na contra corrente da ausência de investimentos em equipamentos comunitários, que caracteriza os últimos anos, o Núcleo Cultural abre suas portas como agente de transformação social, de promoção da qualidade de vida nesta cidade,  de formação e de Garantia de Direitos, atuando em estreita colaboração com escolas e os Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, Tutelar e de Assistência Social do Município.

 

O número de autoridades presentes à inauguração deu a dimensão da importância do equipamento para a cidade. Participaram da cerimônia o Prefeito Municipal José Francisco Souza Ávila, a primeira dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade do Município, Vânia Regina Clemente Ávila; o vice-prefeito de Ipuã, Leonardo Nascimento e sua esposa Yeda Minoda Nascimento; os vereadores Marco Aurélio Cunha Negreiro, Joacir Guarnieri; a Conselheira Tutelar Dhaiany Mara de Moraes; a Diretora de Educação do Município, Narjara Silva Resende; a Diretora do Departamento de Cidadania e Politicas Sociais, Regiane dos Reis Romualdo, o Promotor de Justiça de Ipuã, André Donizete Zanutim; a Presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, Sirzi Helena Cordeiro; o presidente do Conselho da Casa da Criança Armanda Malvina de Mendonça, Itamar Romualdo; o representante do Deputado Estadual Roberto Engler, Antônio Pádua Alves; a coordenadora da Casa da Criança Armanda Malvina de Mendonça, Janaína Cristina Amadeu e a fundadora do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça, Josimara Ribeiro de Mendonça. O número de cadeiras disponibilizado foi insuficiente para atender a quantidade de público que participou do evento.

Doação

A construção do Núcleo Cultural foi possível porque, no ano de 2013, o Conselho da Casa da Criança Armanda Malvina de Mendonça, instituição fundada em 1978, deliberou pela doação do terreno para que o IORM pudesse iniciar a edificação do Núcleo. Na ata de doação, a presidente da Casa da Criança Armanda Malvina de Mendonça, Josimara Ribeiro de Mendonça, antecipou há quatro anos o que viria a ser essa obra: “Um espaço para o desenvolvimento humano, através da arte, educação, capacitação e convívio comunitário, onde os alunos egressos da Casa da Criança poderão voltar para o convívio do Instituto ORM e participar de projetos a partir de sete anos de idade. E se o trabalho de educação integral obtiver sucesso, muito do que fazemos, sem dúvida beneficiará as escolas da rede, num ciclo virtuoso pela educação”, projeção que se confirma com a entrega do Núcleo Cultural.

 

Obra

A obra foi iniciada em fevereiro de 2015. O Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça fica ao lado da Casa da Criança Armanda Malvina de Mendonça. Possui área total de 899,17 metros quadrados e 660  metros quadrados de área construída. O valor empregado na sua construção foi de R$ 906.258,80, por meio de recursos captados entre os anos 2015 e 2016 por meio de Lei de Incentivo à Cultura, o Proac ICMS.

São responsáveis técnicos por esta construção o arquiteto Ricardo Del Lama e MEV Construtora. O paisagismo é assinado pelo professor Maurício Estelita.

A fachada da Casa da Criança Armanda Malvina de Mendonça também sofreu modificações.  Os arquitetos recriaram o cume de um telhado em formato de casa para representar o acolhimento e a importância que são dados a todas as crianças e famílias assistidas pela Casa da Criança, desde que foi criada em 1978.

Duas gravuras ilustram a fachada do Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça de Ipuã, são uma criação coletiva e trazem aspectos naturais, culturais e sociais da cidade observada pelos olhos dos alunos da rede oficial de ensino de Ipuã.

Os alunos participaram de oficinas e foram levados a uma jornada de reconhecimento de sua própria cidade. A gravura Água que brota da terra e faz surgir Ipuã, retrata os recursos naturais presentes na cidade, suas nascentes, o verde. Já a gravura, Água que brota da terra e faz surgir a cultura, é dedicada a representar a identidade da comunidade de Ipuã, seus costumes, sua cultura e claro, a chegada do IORM à cidade.

Os trabalhos são o resultado do projeto compartilhado “Arte que Transforma”, mediado pelo artista plástico e educador visual André Costa, a convite do IORM.

 

Reconhecimento

Quando empresários, Terceiro Setor e Poder público se unem, quem ganha é a cidadania. Para homenagear as empresas que patrocinaram a construção do Núcleo, o IORM transformou a criação coletiva do artista plástico e dos alunos da rede oficial de ensino de Ipuã que ilustram a fachada do prédio em gravuras, que foram entregues, durante a inauguração, aos representantes das empresas pelo conselheiro do IORM, Valter Marcos Lorenti.

Patrocinaram a construção do Núcleo o Instituto Algar, na cerimônia representado por Erli Henrique Silva, diretor da Algar Telecom; a Usina Colorado, representada pela sua Diretora de Responsabilidade  Social, Josimara Ribeiro de Mendonça; a  Usina Santa Fé, representado por n Wellington Furtado Pimenta Neves, vice-Presidente do Instituto Itaquerê; Engevap, representada por Leonardo Pascoalin e Del Lama Arquitetura, representada por Ricardo Del Lama; além das empresas  Expresso Nepomuceno, Grupo Aguetoni, Mefsa, Power Tractor e Nova Aralco.  Os patrocinadores abriram a fita simbólica e descerraram a placa da inauguração e participaram da visita monitorada às instalações.

 

Apresentações

Ponto alto da noite foram as apresentações Culturais de grupos de Ipuã e  dos Projetos desenvolvidos pelo IORM e parceiros no Núcleo Cultural ORM. Destaque para a Companhia de Reis Santana dos Olhos D´agua  de Ipuã; a Dança de Salão do Fundo Social de Solidariedade, com os bailarinos Aline Rosa Marcheto, Breno e Alisson; a bailarina Júlia Oliveira que representou o grupo de Dança do Ventre Entidade Associação Santana e o número de Dança Contemporânea, Coreografia Por um Fio interpretado pela bailarina  Luiza Rocha Tasinaffo.

Também receberam os aplausos da noite os alunos do Projeto Guri Polo IORM Ipuã. As turmas de Violão e canto coral  apresentaram a música do folclore mineiro, Peixe Vivo e a música  Imagine, de John Lennon. O Projeto Guri é uma realização da Associação dos Amigos do Projeto Guri  e da Secretaria Estadual de Cultura e tem o apoio da Prefeitura do Município de Ipuã.

Encerrando as apresentações culturais da noite, a Usina da Dança subiu ao palco com a  Coreografia “Fragmentos do Espetáculo O Mágico de Oz”, de autoria dos coreógrafos Vivian Vinha, Márcia de Jesus, Elaine Bueno, sob direção artística de Valéria Pazeto e o apoio da Prefeitura do Município de Ipuã.

 

Um espaço para a Cidadania

O Núcleo Cultural ORM Ipuã é um espaço de afirmação de cidadania e de vivências de identidade cultural e territorial. Nele, desde o primeiro trimestre do ano, o IORM vem oferecendo projetos socioculturais gratuitos.

 

Voluntárias:

As reuniões do grupo de voluntárias do IORM de Ipuã acontecem às segundas –feiras no Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça. Durante esse encontro semanal que surgem os mais belos e exclusivos trabalhos manuais. Eles são vendidos em Bazares e na loja do Ateliê do Bem em Orlândia  e todo o recurso retorna aos projetos do IORM.

 

Biblioteca:

O IORM trabalha para formar no Núcleo ORM Ipuã,  a Biblioteca Energia do Conhecimento, que tem a missão de fomentar o gosto pela leitura . Ela atenderá aos objetivos da educação, e terá atividades como sessões de contação de histórias.

 

Galeria

Na galeria do Núcleo Cultural, estão expostas obras do artista plástico André Costa, que comercializa suas obras para apreciadores e colecionadores de vários países. Dos materiais que o artista recolhe nas indústrias gráficas e de comunicação visual, surgem obras que  já têm espaço cativo em galerias de Nova Iorque, Barcelona e Dubai.  Também faz parte do acervo permanente a obra Nó do artista plástico Gilberto Salvador, Arquiteto, professor universitário, conferencista.

 

Projeto Guri

Em Ipuã desde agosto de 2016, no dia 03 de Agosto de 2017, o Projeto Guri deu início às suas atividades no Núcleo ORM. As aulas acontecem às terças e quintas no período da tarde. São 86 vagas oferecidas, sendo 36 para violão e 50 para Canto Coral infantil e juvenil. A boa notícia é que ainda há vagas disponíveis. Temos 11 vagas abertas para Violão, 10 vagas abertas Coral infantil e 13 vagas abertas Coral juvenil. O Polo é coordenado por Angélica Paulino Soares e tem como educadora de Canto Coral Débora Lísia Fernandes e Marcílio Silva Lopes, como Educador de Violão.

 

Cozinha

O Núcleo conta com  cozinha piloto e espaço Gourmet. Em junho de 2017 sediou curso de culinária ministrado pelo Sesi Franca ministrando curso  para alunas de Ipuã. Temos todos os recursos para uma escola de culinária.

 

Usina da Dança

Em sala especialmente equipada para aulas de dança, funciona o projeto Usina da Dança, desde o dia 14 de março. Atualmente, 81 crianças já cursam as aulas gratuitas em sistema de contra turno escolar.

 

O que disseram sobre o Núcleo ORM Ipuã

 

“Cinco meses depois do início das atividades do Instituto na cidade é visível a transformação das crianças” (...) “Em nossa cidade, o principal desafio para o Conselho Tutelar é a relação das crianças com sua escola. Há uma falta de interesse generalizado pelo conteúdo das aulas. Antes do início das atividades do IORM em Ipuã, nós conselheiros éramos constantemente chamados pelas escolas. Cinco meses depois do início das atividades do Instituto na cidade é visível a transformação das crianças. Anteriormente indisciplinados, os alunos que frequentam os projetos do Instituto passaram a ter uma outra postura na escola. Tiveram contato com a disciplina, com novas regras, sentem-se respeitados. Por isso estão mais abertos ao conhecimento. Nas visitas às famílias também pudemos constatar isso. Eles mudaram porque querem permanecer nos projetos e sabem que o comportamento na escola é importante para isso”

Dhaiany Mara de Moraes, Conselheira Tutelar de Ipuã.

 

“As crianças reconhecem quando oferecemos dignidade a elas.”

O gerente Executivo do IORM, Rafael Albuquerque Braghiroli fez um emocionado discurso durante a cerimônia de inauguração do Núcleo. Ele envolveu-se pessoalmente na condução das obras e fez um chamamento para que toda a comunidade envolva-se na tarefa de educar as crianças da cidade. “O IORM nasceu da inspiração da nossa fundadora Josimara Ribeiro de Mendonça, que espelhou-se nos princípios de seu pai, Oswaldo Ribeiro de Mendonça. O IORM iniciou seus projetos na garagem de uma casa, mas sempre com a bandeira de colaborar com o desenvolvimento das cidades. O tempo foi passado, o IORM foi crescendo e hoje, nossa história acontece em toda a região.

Sabemos que a magia das palavras é muito grande. Por isso transformamos desejos em realização. Uma construção como esta gera um impacto muito grande  na vida de uma cidade. Assim como a Casa da Criança, nascida em 1978 foi um bebê bem acolhido, a cidade recebe bem o Núcleo Cultural.

Materializar um espaço assim não é algo que caia do céu. Foi preciso muito trabalho e dedicação.  Contamos com a determinação das empresas patrocinadoras que acreditaram em nosso sonho. Elas também carregam a bandeira e acreditam que juntos podemos sim construir uma cidade melhor. As empresas doaram para uma ação do bem.  Temos a responsabilidade de usar bem cada centavo doado.

Agradecemos às voluntárias, que colocam amor em seus trabalhos e à nossa equipe. Viemos para somar e dialogar com a cidade num processo de transformação. A Prefeitura sempre foi parceira. Agradecemos ao Poder Público, aos funcionários da MEV Engenharia que trabalharam com tanta  dedicação. Todos nos diziam, como vocês são exigentes. E nós do IORM respondemos, criança tem que receber sempre o melhor. As crianças reconhecem quando oferecemos dignidade a elas. Esse é um prédio digno de Ipuã. A obra simboliza nossa busca incessante por fazer o melhor e é dedicada às crianças com idade superior a sete anos e suas famílias.

Fomos bater lá na Itália, em Reggio Emilia, para beber na fonte da pedagogia de Loris Malaguzzi. E lá aprendemos que é o aluno que ensina. A criança revela o novo mundo. Temos que aprender com nossas crianças. Precisamos quebrar os muros das escolas, toda a cidade deve ser educadora.”

 

“É com alegria que Ipuã recebe este presente”

O Prefeito de Ipuã manifestou seu agradecimento pela chegada do novo equipamento à cidade: “é com alegria que Ipuã recebe este presente, o Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça.  Será um espaço de muito aprendizado para nossas crianças.”

 

Adicionar comentário

BoldItalicUnderlineStrikethroughSubscriptSuperscriptEmailImageHyperlinkOrdered listUnordered listQuoteCodeHyperlink to the Article by its id
Seu apelido/nome:
Seu website:
Assunto:
Comentário:

Parceiro - Blog da Luiza
Banner
Parceiro - P. Fernandes
Banner
Pensamentos
Um homem tem a idade da mulher a quem ama. (Provérbio chinês)